10
out
09

Tool – Vicarious

To com essa música na cabeça faz tempo já… banda muito foda.. em breve mais algumas coisas dela.

——————————————————————–

Tool – Vicarious

Eye on the TV
‘cause tragedy thrills me
Whatever flavor it happens to be

Like:
“Killed by the husband” …
“Drowned by the ocean” …
“Shot by his own son” …
“She used a poison in his tea,
Then (she) kissed him goodbye”
That’s my kind of story
It’s no fun til someone dies

Don’t look me at like I am a monster
Frown out your one face
but with the other (you)
Stare like a junkie into the TV
Stare like a zombie
while the mother holds her child,
Watches him die,
Hands to the sky cryin
“why, oh why?”

Cause I need to watch things die
from a distance
Vicariously, I live while the whole world dies
You all need it too – don’t lie

Why can’t we just admit it?
Why can’t we just admit it?

We won’t give pause until the blood is flowin’
Neither the brave nor bold
Nor brightest of stories told
We won’t give pause until the blood is flowin’

I need to watch things die
from a good safe distance
Vicariously, I live while the whole world dies
You all feel the same

so why can’t we just admit it?

Blood like rain fallin’ down
Drum on grave and ground

Part vampire, part warrior,
Carnivore and voyeur
Stare at the transmittal
Sing to the death rattle

Credulous at best
Your desire to believe in
Angels in the hearts of men
But pull your head on out (of) your hippie haze
And give a listen
Shouldn’t have to say it all again

The universe is hostile
So impersonal
Devour to survive
So it is, so it’s always been …

We all feed on tragedy
It\’s like blood to a vampire

Vicariously, I live while the whole world dies
Much better you than I

———————————————-

Indireto

Olho na TV,
Porque a tragédia me excita,
Seja qual for o gosto que ela tenha.

Isso vem a ser como:
ser assassinada pelo marido
Afogada no oceano
Baleada pelo próprio filho
Ela usou um veneno no chá dele
E deu-lhe um beijo de adeus
Eu tenho uma história
Nunca é tão engraçado até alguém morrer

Não olhe pra mim como
Se eu fosse um monstro
Despreze seu único rosto
Mas com o outro
Olhe como um viciado para a TV
Olhe como um zombi
Enquanto as mães seguram seus filhos
E os assistem morrer
Mãos aos céus chorando
Por quê, por quê?

Porque eu preciso assistir a coisas morrerem à distância
Indiretamente eu vivo
Enquanto o mundo inteiro morre
Vocês todos precisam disso, não mintam

Por que só nós conseguimos admitir?
Por que só nós conseguimos admitir?

Nós não daremos pause até o sangue escorrer
Escritores com suas histórias vendidas
Nós não daremos pause até o sangue escorrer

Eu preciso assistir a coisas morrerem
A uma boa distância segura
Indiretamente eu vivo
Enquanto o mundo inteiro morre
Vocês todos sentem o mesmo, então por que só nós conseguimos admitir?

Sangue igual a chuva caindo, inundando o túmulo e a colina
Parte vampiro, parte guerrilheiro
Carnívoro e guerrilheiro
Ainda transmite
Para penetrar com a pancada mortal

Ingênuo no seu melhor desejo de acreditar em anjos nos corações dos homens
Abra a sua cabeça; sua cabeça acredita, então por favor escute
Não deveria ter que dizer tudo de novo
O universo é tão hostil, tão impessoal
Destrói pra sobreviver, assim que é
Assim que sempre foi

Nós todos nos alimentamos de tragédia
É como sangue para um vampiro

Indiretamente eu vivo
Enquanto o mundo inteiro morre
Muito melhor você do que eu

Anúncios


Categorias

outubro 2009
D S T Q Q S S
    nov »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Links

nagash @ deviantart
Corrida da Cerveja da Capital

  • 99,429 hits

%d blogueiros gostam disto: